Dicas de Viagem de Silvia Grumbach

VIAJAR É ANTES DE TUDO UM ESTADO DE ESPÍRITO. GOSTAMOS DE NOS SENTIR LIVRES PARA ESCOLHER NOSSOS DESTINOS, FAZER NOSSOS PRÓPRIOS ROTEIROS, GASTAR MAIS OU MENOS TEMPO DE ACORDO COM NOSSA VONTADE E NOSSO SENTIMENTO EM CADA LUGAR VISITADO. AFINAL ESTAMOS SEMPRE DIANTE DE UMA INFINIDADE DE POSSIBILIDADES. SUGIRO QUE COMECE LENDO "O PORQUE DOS ROTEIROS ???" Clique sobre as ilustrações para vê-las ampliadas e, por favor, se as copiar, não deixe de citar a fonte. AO INTRODUZIR OS RESULTADOS DE MINHA PESQUISA DE NOSSA GENEALOGIA, PROSSEGUI NUMA VIAGEM, ESTA DE VOLTA AO PASSADO, REVISITANDO HISTÓRIAS DE VIDA E SEUS PERSONAGENS, NOSSOS ANTEPASSADOS … VIVOS EM NOSSAS LEMBRANÇAS

O Porque dos Roteiros?

“A verdadeira viagem, ou as verdadeiras descobertas, não consistem em encontrar novas paisagens, mas sim em arranjar novos olhos.” Marcel Proust

Tudo começou com nossa primeira viagem internacional em 2006:

Rio de Janeiro – Paris – Lisboa – Paris – Rio de Janeiro.

Meu marido foi fazer um curso de uma semana em Paris e me convidou para acompanhá-lo. Aproveitamos para uma esticadinha de uma semana em Lisboa, com direito a retornar a Paris.

Nunca havia saído do Brasil e a Europa definitivamente me encantou, afinal tenho uma quedinha por história e por religião e ir a Europa é um mergulho em ambas, uma verdadeira imersão.

Voltei disposta a não mais esperar as oportunidades surgirem, mas sim criá-las, afinal, “quem sabe faz a hora não espera acontecer”.

Havia e há muito aonde ir, o que ver e conhecer.

Como os países e cidades são muitos, a possibilidade das viagens se resumiam, à época, às nossas férias anuais, 30 dias a cada doze meses, pensei que seria preciso fazer cada dia valer o máximo. Para isso era fundamental estabelecer prioridades, afinal não seria possível ter certeza de quantas oportunidades nós seríamos, somos e seremos capazes de criar …

Uma vez definido para onde e voltando à questão de fazer o tempo ser tão agradável e proveitoso quanto possível, era necessário estudar a(s) cidade(s) escolhida(s), saber o que ela(s) poderia(m) nos oferecer e, dentre as muitas opções, aquelas que estavam nas nossas áreas de interesse, passando, então, a localização dos programas no mapa local para preparar roteiros para cada um dos dias, racionalizando os trajetos.

Uma outra área de interesse, a da genealogia, também teve participação na definição de alguns roteiros.

No retorno de cada viagem, além das muitas fotos, fazia e ainda faço cadernos de viagem, registrando nosso passo a passo, do embarque ao desembarque de volta ao Rio.

Quando atingimos a marca de 36 cidades visitadas, os cadernos já se avolumavam e pensei que seria um desperdício guardá-los num antigo baú, afinal eram resultado de um intenso, apesar de amador, trabalho de pesquisa.

Passo meses pesquisando, lendo tudo que encontro, na internet, jornais, livros, prospectos, revistas e tudo mais que meus olhos alcancem. Sempre tudo muito espalhado, uma informação aqui, outra ali. Então concluí, que compartilhar estes roteiros poderia facilitar a vida de alguns, mas não sabia como, até surgir a idéia do blog.

Agradeço a possibilidade de passar da idéia à concretização à Gustavo Taranto de Almeida, que faz isto profissionalmente, portanto, para quem estiver na mesma situação, querendo sem saber como, aí vai a primeira dica, contactar um web design.

Como disse ‘De Gaulle’, a maior de todas as autoridades é o fato, “sua excelência, o fato” e a partir de outubro/2011, o blog se tornou um fato.

Comecei a transcrever os roteiros a partir da viagem mais recente, indo no sentido contrário em que eles se realizaram.

As pesquisas que antecedem a viagem, a viagem em si, os cadernos de viagem, o blog e posteriormente o site me faziam transformar 15/20 dias de viagem, num ano inteiro viajando e a partir de então tendo além da companhia de meu marido, a de todos aqueles que embarcarem neste site.

Aproveitem e boa viagem !!!

Silvia Maria Pinheiro Grumbach

Outubro/2011

“A vida não é medida pelo número de vezes que respiramos, mas pelos lugares e momentos capazes de tirar nosso fôlego.” (anônimo)

Ainda encontra-se pendente a inclusão da parte ilustrativa: cartões postais, prospectos, mapas e fotos tiradas por nós. Portanto, continue me acompanhando, acessando o site e quem sabe se tornando mais um seguidor.

janeiro/2012

A partir de 14/07/2012, dei início à inclusão da parte ilustrativa, começando pelo ‘Nosso Roteiro na Casa da Virgem Maria – Selçuk – Turquia (Ásia) 2012′.

julho/2012

Meu guru na área de informática, Gustavo Taranto de Almeida, responsável pela criação do blog Dicas de Viagem de Silvia Grumbach, http://guia-viagem.blogspot.com, não satisfeito com meu esforço para assimilar as inovações de um blog em minha vida, resolveu migrar o blog para um site, http://www.nossosroteiros.com.br/

Para vocês terem uma ideia do impacto desta providência, o site foi ativado em 30/01/2013 e só agora estou divulgando o novo caminho para acesso aos ‘Nossos Roteiros’.

Num post publicado em 17/07/2009, Claudia Sardinha explica que, apesar de muita gente pensar que site e blog sejam a mesma coisa, são muitas as diferenças. Para quem engatinha pela internet, estas diferenças não são tão visíveis. O blog é como um diário virtual e interativo, já o site é uma página numa rede de alcance mundial.

Conto com vocês para me ajudar a divulgar o site, através do facebook, twitter, …

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>